Buscar
  • Logiservice

Mercado de empilhadeiras: o que esperar de 2018?

Estamos nos despedindo de 2017. Com isso, muitas pessoas especulam sobre o que será do mercado de empilhadeiras em 2018. Como um dos principais equipamentos usados em cadeias logísticas Brasil afora, a demanda por empilhadeiras é muito influenciada pelas mudanças nesse mercado.


Em tempos de crise, é natural que as empresas cortem custos e diminuam as margens para se manterem competitivas. Só que a cadeia logística não pode, simplesmente, ser eliminada, tal qual outros gastos. Deste modo, a diminuição de erros e a otimização dos investimentos, com a busca pelo máximo de retorno, são os princípios que norteiam as atividades dos profissionais da área.


O que esperar do mercado de empilhadeiras para 2018?

O mercado de empilhadeiras, assim como muitos outros, deve ser fortemente influenciado pela sustentabilidade no ano que entra.


Por um lado, os consumidores estão cada vez mais preocupados com a ecologia e exigentes quanto à origem dos itens que consomem. Consequentemente, empresas que adotem modos de produção mais sustentavam tendem a ganhar mais espaço de mercado.


Porém, as empresas têm se interessado cada vez mais por equipamentos sustentáveis em nome do lucro: eles podem até exigir um investimento inicial mais alto, mas se pagam com o tempo graças ao gasto energético inferior ao dos modelos regulares.


O que isso significa para o mercado de empilhadeiras? Simples: que os modelos elétricos devem ser tornar elementos cada vez mais frequentes nos pátios das empresas Brasil afora.


Por que as empilhadeiras elétricas são cada vez mais visadas?

O mercado de empilhadeiras dos Estados Unidos e Europa aceita muito bem, e dá preferencia, os aparelhos elétricos. No Brasil, eles ainda são menos de metade das unidades em atividade.


Entretanto, a busca por investimentos mais rentáveis tende a popularizá-los: uma empilhadeira elétrica, para 2000 kg pode custar até 50% mais do que uma versão a combustão, mas, em compensação, pode ter um consumo de energia elétrica em relação ao GLP/Diesel até 80% menor ao ano. No fim das contas, no longo prazo vale a pena, tanto na locação como na aquisição.


Além disso, empilhadeira elétrica não emite gases poluentes e é muito mais silencioso. O resultado são menos preocupações com a saúde ocupacional e, consequentemente, menos ações trabalhistas e riscos operacionais.


Por fim, a estrutura da empilhadeira elétrica permite que ela alcance locais ao qual o modelo a combustão não chega. Usando as técnicas adequadas, ela é muito mais eficiente.

Quais são as outras tendências no mercado de empilhadeiras para 2018?

A racionalização dos custos é a principal meta que guiará os profissionais de logística em 2018. Isso se traduz, principalmente, no investimento em tecnologias mais limpas e econômicas, como a empilhadeira elétrica.


Só que isso também significa que as empresas serão mais criteriosas na renovação da frota em 2018. Ou seja: as vantagens de qualquer investimento devem ficar muito claras para que ele se torne realidade.


Consequentemente, a chamada venda consultiva se torna um elemento chave para atingir bons resultados. Como o próprio termo diz, o vendedor tem que ir mais longe e atuar como um consultor, avaliando as necessidades do cliente e propondo as melhores soluções para ele, de forma honesta. É a melhor forma de se manter competitivo em 2018.


A LOGISERVICE é uma empresa tradicional com mais de 18 anos no mercado de Locação de Empilhadeiras com alta capacidade de adaptação às necessidades de seus clientes. Possuímos atualmente um parque de mais de 140 empilhadeiras de modelos diversos, com idade máxima de 06 anos.


CONSULTE-NOS: (011) 4152-2677


comercial@logiservice.com.br

1 visualização0 comentário